Os nossos olhos estão diariamente expostos a muitas influências externas. Têm contacto com poluentes do ar, bactérias, ar seco, vento, cosméticos, etc. As pálpebras e as pestanas oferecem determinada protecção, mas esta protecção muitas vezes não é suficiente, pois também a região das pálpebras e das pestanas é muito sensível. As influências externas podem dar origem a doenças inflamatórias dos olhos (por ex. conjuntivites) ou das pálpebras (por ex. inflamações do bordo da pálpebra) e, evoluindo a doença, podem originar serosidades mucosas, congestão escamosa e secreções secas que, de um modo geral, podem fazer mal aos olhos, mas especialmente à córnea sensível. Particularmente importante é uma limpeza higiénica dos olhos, mesmo após as cirurgias oculares e outros tratamentos oculares efectuados pelo oftalmologista.

Possibilidades de limpeza dos olhos

Normalmente, ao lavar a cara, os olhos ficam suficientemente limpos. Em caso de tendência geral para pele gordurosa, formação de escamas e secreções secas, deve-se prevenir inflamações do bordo da pálpebra com uma higiene intensiva e diária do bordo das pálpebras. É nos bordos das pálpebras que se encontram as glândulas sebáceas que podem obstruir. Isto pode originar inflamações desagradáveis. Os bordos das pálpebras devem ser limpos uma vez por dia com um cotonete, que deve ser embebido conforme se quiser, em óleo ou num champô muito suave. Se surgirem com frequência inflamações nos bordos das pálpebras, a congestão escamosa deve ser massajada para fora da glândula sebácea, em intervalos regulares. Também a maquilhagem dos olhos requer todas as noites uma cuidada remoção e a limpeza da zona dos olhos. Caso contrário, durante a noite podem entrar facilmente partículas de cosméticos nos olhos e provocar irritações. Os resíduos de cosméticos também podem facilmente irritar a pele em volta dos olhos. Ao limpar os olhos, deve-se ter atenção a que se lave sempre no sentido do nariz. Se acaso se esfregar em sentido contrário, a pálpebra inferior pode desprender-se do globo ocular, permitindo às impurezas aderentes ao bordo da pálpebra entrar nos olhos. Possíveis secreções duras e ásperas podem assim danificar a córnea.


Além da limpeza dos bordos das pálpebras com cotonetes, há várias outras possibilidades de higiene ocular:


Toalhetes de limpeza estéreis

Relativamente novos no mercado são os toalhetes de limpeza especialmente humedecidos. Embalados de forma individual e esterilizada, garantem uma limpeza higiénica dos olhos. Removem a maquilhagem dos olhos, secreções secas e são apropriados para o cuidado dos olhos depois de tratamentos e operações aos olhos. Os toalhetes estão embebidos de diferentes extractos vegetais, que actuam de forma calmante, adstringente e anti-séptica na pele sensível da zona dos olhos. Agradável efeito colateral: se os olhos estiverem cansados, exaustos ou secos, a humidade e a frescura dos toalhetes embebidos alivia os olhos.

Geles de limpeza

Para a limpeza dos olhos, também são apropriados geles de limpeza especialmente indicados para os olhos e disponíveis em bisnagas. O gel é aplicado num toalhete de papel com que se limpam depois os olhos. Se usar um gel para limpar os olhos, tenha sempre obrigatoriamente atenção à data de expiração e tenha cuidado em não tocar com os dedos na abertura do tubo. Caso contrário, pelo o tubo aberto, podem entrar facilmente bactérias e outros micróbios que podem fazer mal aos olhos.

Banhos oculares

Para auxílio à higiene ocular, são bons os banhos oculares. Encontram-se disponíveis nas farmácias soros especiais para lavagem dos olhos, com a respectiva “tina para os olhos”. Estes banhos lavam os olhos e têm um efeito refrescante sobre olhos secos e irritados, após muito tempo de trabalho no computador, leitura, televisão, etc. Também as pessoas com alergias podem encontrar alívio com banhos oculares, ao remover as poeiras e o pólen. As lavagens oculares proporcionam também um primeiro socorro em caso de corpos estranhos nos olhos ou causticações com produtos químicos. Mas nestes casos, deve consultar-se de imediato um oftalmologista.

Cuidado com as receitas caseiras

Pede-se um especial cuidado na utilização de remédios caseiros, como, por exemplo, lavagens com camomila. A camomila é conhecida pelo seu efeito calmante, sendo isto correcto em muitos casos. Mas nos olhos, segundo os mais recentes estudos, actua de forma secante. Além disso, o extracto de camomila contém muitas vezes pólen de plantas, que em muitas pessoas pode provocar facilmente reacções alérgicas. Se a solução de lavagem dos olhos produzida por si permanecer algum tempo e arrefecer, torna-se uma base ideal para bactérias e outros micróbios. Daí que, na higiene dos seus olhos, deva preferir os preparados testados recomendados pelo seu farmacêutico ou oftalmologista.

Cuidado da pele

O cuidado da pele sensível em redor dos olhos faz igualmente parte da higiene ocular. Nesta região, é fácil originar-se secura e formação de rugas, pois a pele em volta dos olhos é muito fina e é ”almofadada" só um pouco pela gordura do tecido subcutâneo e o tecido conjuntivo. É importante manter-se a humidade da pele. Para isso, são uma ajuda os cremes e geles das várias séries de produtos de cuidados da pele, que também são indicados para olhos sensíveis e portadores de lentes de contacto. Informe-se com exactidão e experimente os diferentes preparados para descobrir qual é o produto que melhor se adequa a si.